HIDRATAÇÃO CUTÂNEA

POR LILIAN SANPEI

A pele é o maior órgão do corpo humano e Desempenha múltiplas funções. Graças à camada queratinizada da epiderme, protege o organismo contra agressores externos, desidratação, atrito e apresenta células do sistema imunitário que previne a entrada de microrganismos.

Por intermédio de suas terminações nervosas sensitivas, recebe constantemente informações sobre o ambiente e as envia para o sistema nervoso central.

Graças a seus vasos sanguíneos, glândulas e tecido adiposo, colabora na termorregulação do corpo.

Em relação à Anatomia, a pele é constituída por 3 camadas:
EpidermeDerme e Hipoderme.

HIDRATAÇÃO CUTÂNEA

Epiderme: sendo a camada mais superficial da pele, de origem ectodérmica e composta por epitélio estratificado pavimentoso e queratinizado.

Derme: a cama intermediária da pele, de origem mesodérmica, composta por tecido conjuntivo rico em fibras colágenas e elásticas, vasos sanguíneos, estruturas nervosas e musculares.

Hipoderme: a camada mais profunda da pele, também conhecida como tecido celular subcutâneo, de origem mesodérmica, composta em sua maioria por adipócitos, dispositivos em lóbulos separados e fibro conjuntivo.

EPIDERME

 

A camada mais superficial da pele, de origem ectodérmica.

É constituída por epitélio estratificado pavimentoso queratinizado. As Células mais abundantes nesse epitélio são os queranócitos. A Epiderme ainda apresenta mais três tipos de células: os melanócitos, as células de Langerhas e as de Merkel.

É diferenciada em pele fina e pele espessa, dependendo de sua espessura. A pele espessa é encontrada na palma das mãos e na planta dos pés; a pele fina protege todo o resto do corpo.

Nas regiões mais espessas (pele espessa), a epiderme atinge espessura de até 1,5 mm .

Epiderme sofre um processo contínuos de diferenciação celular a partir de um pool de células-tronco diferenciando-se em 5 camadas sucessivas: basal espinhosa , granular, lúcida(exclusiva das regiões palmoplantares) e córnea.

CAMADAS DA EPIDERME E OS DIFERENTES TIPOS CELULARES

Camada Basal ou Germinativa: essa camada está sempre produzindo novas células, que se dividem por mitose. Estão presentes os melanócitos, células especializadas em produzir a melanina, que é o pigmento que dá cor à pele e aos pelos. Os prolongamentos dos melanócitos penetram nas células dessa camada e da espinhosa, espalhando melanina no seu interior. As células de Merkelsão mecanorreceptoras, ou seja, percebem estímulos mecânicos do exterior e os encaminham para as fibras nervosas.

Camada Espinhosa: possui células com desmossomos e prolongamentos que ajudam a mantê-las bem unidas, o que lhes confere aparência espinhosa. As células de Langerhans se encontram espalhadas pela camada e ajudam a detectar agentes invasores, enviando alerta ao sistema imunológico para defender o corpo;

Camada Granulosa: à medida que sobem, os ceratinócitos vão sendo achatados.Na camada granulosa possuem forma cúbica e estão cheios de grânulos de queratina, que passa a ocupar os espaços intercelulares;

Camada Córnea: Possui espessura muito variável e é constituída por células achatadas, mortas e anucleadas. O citoplasma apresenta se cheio de queratina. Esta possui, no mínimo, seis polipeptídeos distintos; a composição dos tonofilamentos são modificados a medida que os queratinócitos se diferenciam. As células da camada basal apresentam queratina de baixo peso molecular, enquanto os queratinócitos mais diferenciados sintetizam queratinas de peso molecular maior. Na camada córnea os tonofilamentos se aglutinam juntamente com a matriz formada pelos grânulos de querato-hialina. Nesta fase, os queratinócitos estão transformados em placas sem vida descamando continuamente.

Todas as camadas descritas acima estão presentes na epiderme na sua maior complexidade, que é na pele espessa. Já na pele fina, frequentemente estão ausentes as camadas granulosa e lúcida, com uma camada córnea bem reduzida.

DERME

Corte transversal da pele: a epiderme é a parte mais escura, sendo a camada córnea mais externa (soltando partes) e a derme é a mais clara.

A  derme é formada de tecido conjuntivo denso. Sua composição é essencialmente de colágeno(cerca de 70%) e outras glicoproteínas e fibras do sistema elástico. As fibras elásticas formam uma rede ao redor das fibras de colágeno que conferem flexibilidade à pele.

A camada imediatamente abaixo da epiderme é chamada de camada papilar pois possui inúmeras papilas dérmicas encaixadas nas reentrâncias da superfície irregular da epiderme. Em seguida há a camada reticular que contém mais fibras elásticas, além de vasos sanguíneos e linfáticos e terminações nervosas, também são encontradas glândulas sebáceas e sudoríparas e as raízes dos pelos.

Camada papilar: é delgadas constituída por tecido conjuntivo frouxo que foram descritas fibrilas especiais de colágeno que se inserem por um lado na membrana basal e pelo outro penetram profundamente na derme. Essas fibrilas contribuem para prender a derme à epiderme.

Os pequenos vasos sanguíneos presentes nestas camadas são responsáveis pela nutrição e oxigenação da epiderme.

Camada Reticular: é a camada mais espessa, constituída pelo tecido conjuntivo denso. Ambas as camadas contém fibras do sistema elástico responsáveis em parte, pela elasticidade da pele.São encontrados na Derme: Vasos Sanguíneos e Linfáticos, nervos e também as seguintes estruturas derivadas da epiderme: folículos pilosos, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas.

HIPODERME

Hipoderme é formada pelo tecido conjuntivo frouxo, que une de maneira pouco firme a dermeaos órgãos subjacentes. Sua estrutura fornece proteção contra traumas físicos, além de ter uma camada variável de tecido adiposo que quando desenvolvida constitui o panículo adiposo.

Funções do panículo adiposo: Modela a superfície corporal, reservatório energético, fixação dos órgãos, proporciona a proteção contra o frio.

BARREIRA CUTÂNEA

Para que a pele esteja em bom estado adequado de funcionamento, são necessários dois processos básicos: limpeza e Hidratação Cutânea.

A limpeza contribui para remoção de secreções cutâneas naturais e microorganismos.

A Hidratação tem o papel primordial de manter o conteúdo de água na Epiderme e a barreira epidérmica em perfeito estado.

barreira Cutânea promove proteção mecânica e permeação seletiva de moléculas, além de restringir a proliferação de microrganismos patogênicos e manter uma adequada concentração de água.

O equilíbrio cutâneo e essencial para o bom funcionamento cutâneo e para manutenção de  sua aparência normal.

Quando há falta de água no organismo, o estrato córneo fica desidratado, as células não são reabastecidas corretamente , chegando menos água à Epiderme, tornando a pele mais áspera e seca.

Barreira epidérmica é composta por: matriz proteica celular, e matriz intercelular.

As camadas celulares epidérmicas superficiais repelem água, enquanto as profundas a retêm. Essas características levam a equilíbrio entre os compartimentos celular proteico e intercelular lipídico, estabelecendo o balanço hídrico normal.

FATOR DE HIDRATAÇÃO NATURAL

A água presente na epiderme não é suficiente para a hidratação epidérmica se não houver fatores para a sua retenção, impedindo a evaporação para o meio. Nesse sentido, duas estruturas desempenham este papel, o FHN e os lipídios intercelulares.

O componente queratinocítico, o FHN (conjunto de estruturas hidroscópicas, que interagem entre si), retém água e condiciona um aspecto normal para o tegumento.

Os lipídios intercelulares (originados dos queratinócitos nucleados e dispostos na camada córnea) são estruturas bipolares (com “cabeças” hidrofílicas e “caudas” hidrofóbicas) que controlam a permeabilidade e o movimento intercelular da água. Tais estruturas gordurosas selam o FHN nos corneócitos, mantendo o conteúdo hídrico intercelular.

Tais lipídios são tão importantes para o funcionamento normal da epiderme que, quando aplicados topicamente, atravessam o estrato córneo, são capturados por vesículas fagocíticas na parede das células granulosas epidérmica. Migram para uma fusão ao sistema reticular-Golgi, sendo com posterior exocitose dos lipídios para o espaço intercelular corneano, a fim de recompor a função hidratante dos lipídios intercelulares dessas células anucleadas.

FATORES QUE ALTERAM A ESTRUTURA DA PELE

O funcionamento adequado dessa barreira confere integridade, equilíbrio hídrico, Hidratação e descamação corneocítica organizada à pele.

Quando há distúrbios de algum componente  de barreira, há um aumento de perda de água trans epidérmica, resulta na xerose , com seus sinais e sintomas: Dentre as características de pele seca, pode-se observar: descamação, fissuras,tensão, rubor e ocasionalmente sangramentos.

Entretanto há várias condições intrínsecas e extrínsecas que podem desencadear  a Xerose Cutânea, como desordens na estrutura e na função da epiderme, fatore ambientais, umidade ou temperaturas muito baixa, radiação solar, ou até exposições a produtos químicos ou tensoativos.

HIDRATAÇÃO: CLASSIFICAÇÃO E MECANISMO DE AÇÃO

Manter a Limpeza e a  Hidratação cutânea, e o uso frequente de produtos hidratantes ainda é a terapia de escolha para  manter a integridade cutânea, de modo que o objetivo primordial da Hidratação e manter a saúde e a manutenção da pele,  prevenindo a desidratação e o envelhecimento da pele e a quadros de xerose ou irritação cutânea.

Os hidratantes são classificados de acordo com o mecanismo de ação de seus componentes, em oclusivos, umectantes, emolientes e reparadores proteicos. Na maioria das vezes, os produtos comerciais disponíveis utilizam matéria-prima de cada uma dessas classes em suas formulações para maiores efetividade e sucesso terapêutico.

Os oclusivos retardam a evaporação e perda de água epidérmica através da formação de um filme hidrofóbico na superfície da pele e no interstício entre os ceratinócitos superficiais.

Os umectantes retêm água na camada córnea, seja por atraí-la da derme, seja em ambientes com umidade atmosférica superior a 70%, por atraí-la do ambiente. Os emolientes são ricos em substâncias capazes de “preencher as fendas” intercorneocíticas, retendo água nessa camada.

Já os reparadores proteicos ajudam a reparar estruturas proteicas dérmicas danificadas ou estimular sua produção. Agem como hidratantes, pois assumem um papel osmótico, embebendo-se de água e retendo-a na epiderme e derme.

Ressaltando que uma barreira epidérmica intacta permite que haja um equilíbrio cutâneo de água, o que, em última instância, é essencial para o bom funcionamento da “máquina” cutânea e para a manutenção de uma aparência normal deste órgão.

REFERÊNCIAS DO ARTIGO

JUNQUEIRA, L.C.U. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 524p.
Guirro, Elaine; Guirro, Rinaldo. Dermatologia Funcional 3ªEd. São Paulo, Manole, 2004
DRAELOS, ZOE DIANA ,Cosmecêuticos ,Série Procedimentos Em Dermatologia Cosmética ,Elsevier Editora Ltda , ,2ª ed. ,2009
Costa, Adilson, Tratado Internacional de Cosmecêuticos/Adilson Costa.-Rio de Janeiro: Guanabara Koogan 2012
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004