MICROAGULHAMENTO

POR CAMILA MARTINS

microagulhamento (indução percutânea de colágeno) é uma técnica que utiliza um aparelho manual, um rolo, com várias microagulhas que possuem diferentes tamanhos, podendo variar de 0,25mm até 3,0mm, estas se inserem na pele ajudando na produção de colágeno – sem que provoque a desepitelização total da pele, diferente de ácidos.

INDICAÇÕES

Indicado para pessoas com flacidez tissularrugascicatrizes atróficas, cicatrizes de acneestrias,linhas de expressão bem como pode ser usado em fototipos altos.

COMO FUNCIONA O MICROAGULHAMENTO

O mecanismo de ação se dá de forma que quando a agulha é penetrada na pele, causa uma lesão controlada, e como toda lesão, existe a fabricação de “ingredientes” para a formação de um novo tecido.

Inicialmente, com a passagem do rolo, acontece a perda da integridade da barreira cutânea sendo o alvo a dissociação dos queratinócitos que resulta na liberação de citocinas, entre elas a interleucina -1ª que predomina, resultando em vasodilatação dérmica e a migração de queratinócitos para o reestabelecimento do dano na epiderme (LIMA, LIMA e TAKANO, 2013).

Logo acontece o processo de cicatrização que divide-se em três partes; a primeira a injúria que é a liberação de plaquetas e neutrófilos que são responsáveis pela liberação de fatores de crescimento (LIMA, LIMA e TAKANO, 2013).

Na segunda fase da cicatrização, quando os neutrófilos são substituídos por monócitos, e ocorrem angiogênese, epitelização e proliferação de fibroblastos, seguidas da produção de colágeno tipo III, elastina, proteoglinas e glicosaminoglicanos. No mesmo momento, o fator de crescimento dos fibroblastos, o TGF-a o TGF-ß são secretados pelos monócitos. Cinco dias depois do procedimento, aproximadamente, a matriz de fibronectina está formada, possibilitando o depósito de colágeno logo abaixo da camada basal da epiderme. (LIMA, LIMA e TAKANO, 2013).

Na terceira fase, a maturação, o colágeno tipo III começa a ser substituído por colágeno tipo I que é um colágeno com mais qualidade (LIMA, LIMA e TAKANO, 2013).

PROCEDIMENTO

A técnica ainda é pouco utilizada, não pelos seus resultados, mas sim por se tornar um procedimento um pouco caro, pois o rolo é descartado logo após a sua utilização. O rolo com as agulhas não pode ser auto-clavado e qualquer outro procedimento de assepsia não remove todas as impurezas.

O procedimento começa com o devido preenchimento da ficha de anamnese e a correta higienização da pele com álcool 70%. Necessário utilizar luvas e máscara.

Começando pela região frontal (testa), divida o espaço em quadrados do tamanho do rolo. Passe o rolo em direção única por no mínimo 3 vezes, dependendo de cada cliente, sem retirá-lo da posição em contato com a pele ( pois pode “rasgar” a pele).

Inicie com passadas na vertical (1), levante o rolo e passe na horizontal (2) da mesma forma, fazendo uma “cruz”. Em seguida, passe nas diagonais (3 e 4) fazendo um “X”. Sempre que for trocar o sentido é necessário levantar o rolo. Finalizando os quatro sentidos vá para outro quadro e repita o processo. Depois da região frontal vá para as laterais do rosto e por final, nariz e queixo. Não precisa colocar pressão exagerada no cabo. O mesmo procedimento pode ser feito nas estrias.

DICAS DE FINALIZAÇÃO

Finalizar com produto específico para o tipo de tratamento realizado, como por exemplo, ácido hialurônico e Vitamina C . É importante lembrar que no momento em que se termina o quadrante deve-se passar imediatamente o produto, pois as plaquetas do sangue podem fechar imediatamente estas microperfurações e o ativo não vai permear na pele, vale lembrar também que após o procedimento não pode-se usar nenhum tipo de calmantes, protetor solar, maquiagens. Deve-se utilizar produtos que não precise remover, e adequados para passar após esse tipo de procedimento, pois depois de aplicado, o produto não poderá ser retirado completamente.

O veículo do produto deve ser em gel ou sérum, para que não haja o surgimento de acne. O protetor solar pode ser utilizado somente depois de 4 horas do procedimento, o mais indicado é após 24 horas.

O rolo pode ser usado sem cosmético algum, pois mesmo sem, ainda traz ótimos efeitos. A pele pode apresentar sangramento, hiperemia e inchaço.

SOBRE AS AGULHAS

As agulhas variam de 0,25mm até 3,0mm, sendo que a esteticista está autorizada a utilizar até 0,5 mm, acima disso somente uso médicoFisioterapeutas e Biomédicos podem utilizar agulhas de até 1,0 mm. Esses profissionais podem utilizar agulhas maiores se trabalharem em uma clínica com um médico responsável autorizando e acompanhando. Agulhas menores que 0,5 mm são utilizadas somente para permeação de ativos, não trazendo nenhum resultado na produção de colágeno; somente 0,5 mm e acima que acontece a produção de colágeno.

No rosto pode-se utilizar a agulha de 0,25mm até 1,5mm e para o corpo de 1,0 mm até 3,0mm, dependendo da espessura da pele de cada cliente, sendo que acima de 1,0mm é necessário o uso de anestésico tópico, pois a dor pode ser intensa.

Com a agulha acima de 0,5 mm as sessões devem ter um intervalo de no mínimo 21 dias, que é o tempo que a pele demora para se regenerar por completo e com a agulha acima de 2,0mm o intervalo é de no mínimo 6 meses.

O rolo deve ser muito bem escolhido e devidamente registrado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), pois muitos outros produtos são comercializados e podem trazer problemas ao cliente, alguns podem vir com agulhas tortas, em tamanhos irregulares, ou agulhas caindo, detalhes que podem ser imperceptíveis a olho nu.

CONTRA INDICAÇÕES

Esta técnica está contra indicada nos casos de cicatrizes com quelóide, doença vascular, distúrbio hemorrágico, diabetes, uso de anticoagulantescâncer de pele, alergia ao metal, ceratose solar, verrugasinfecção cutâneapele sensívelgravidezacneherpes ativarosácea ativapele queimada do sol, uso de Roacutan inferior a 6 meses (a pele está fina e reativa).

Os resultados não são imediatos, pois a maturação do colágeno pode demorar até um ano ou mais. Está técnica deve ser feita com muita atenção e cuidado, pois assim como ela pode trazer enormes resultados e benefícios ela também pode trazer malefícios que podem ser irreversíveis.

PERGUNTAS FREQUENTES

Pode utilizar quantas vezes o mesmo rolo com as agulhas?
Apenas uma vez. Após o primeiro uso deve ser descartado adequadamente. Não pode ser autoclavado e qualquer outro procedimento de assepsia não remove todas as impurezas do rolo.

Pode utilizar mais de uma vez se for devidamente higienizado e utilizado no mesmo cliente?
Não. O rolo pode ser usado apenas uma vez, independentemente de ser ou não no mesmo cliente. Não utilize o rolo mais de uma vez, são regras da ANVISA.

Pode passar logo em seguida do procedimento o protetor solar?
Não pode passar o protetor assim que finalizar o procedimento, é necessário aguardar pelo menos 4 horas, sendo indicado pelos profissionais o uso após 24 horas. Importante indicar ao cliente para evitar o sol e interessante fazer esse tipo de procedimento ao final do dia.

Esteticistas podem utilizar até qual tamanho de agulha?
Esteticista está autorizada a utilizar até 0,5 mm, acima disto somente uso médico. A esteticista pode utilizar agulhas maiores de 0,5 mm se trabalhar em uma clínica com um médico responsável autorizando e acompanhando o procedimento.

Fisioterapeutas e Biomédicos podem utilizar até qual tamanho de agulha?

Fisioterapeutas e Biomédicos estão autorizados a utilizar até 1,0 mm, acima disto somente uso médico. Esses profissionais podem utilizar agulhas maiores de 1,0 mm se trabalharem em uma clínica com um médico responsável autorizando e acompanhando o procedimento.

Qual tamanho de agulha é indicada para tratamento no rosto?
No rosto pode-se utilizar a agulha de 0,25mm até 1,5mm. Lembrando que esteticistas sem acompanhamento e autorização de um médico responsável, utilizam até 0,5 mm e Fisioterapeutas e Biomédicos até 1,0 mm.

Qual tamanho de agulha é indicada para tratamento no corpo?
Corpo de 1,0mm até 3,0mm. Lembrando que esteticistas sem acompanhamento e autorização de um médico responsável, utilizam até 0,5mm e Fisioterapeutas e Biomédicos até 1,0 mm.

Atenção: As imagens contidas neste conteúdo são meramente ilustrativas, não definem o tamanho da área do quadrante a ser tratado com a técnica de microagulhamento e é de extrema importância ser um profissional capacitado da área além de fazer cursos específicos com empresas e profissionais especializados.

Lembre-se: que você como profissional deve ser apto e capacitado antes de manusear qualquer tipo de aparelho ou de efetuar qualquer procedimento e ser formado na área. Ao adquirir o rolo de microagulhamento, indicamos que faça também o curso disponibilizado pela empresa ou com profissionais autorizados.

Cursos Livres de #Estética e #BemEstar em São Paulo
Acesse nossa Agenda: bit.ly/CursosPresenciaisSP

Referência:

Lima EVA, Lima MA, Takano D. MICROAGULHAMENTO: ESTUDO EXPERIMENTAL E CLASSIFICAÇÃO DA INJÚRIA PROVOCADA; SURG COSMET DERMATOL 2013.