SABONETE FACIAL: NÃO É TUDO IGUAL!

POR JEFFERSON ASANDRE

Olá amigos leitores do Mundo Estética!

Para iniciar minha participação no site, trouxe um tema aparentemente simples e que por muitas vezes ignorado pelo próprio profissional e consumidor final: Sabonete Facial: Não é tudo igual!

Você realmente sabe a função de um sabonete para a pele?

Melhorando a pergunta, você realmente entende as diversas funções dos higienizantes para os diferentes biótipos de pele?

É comum ouvirmos que sabonete é tudo igual e que o mesmo serve para todos os tipos e necessidades de pele. Ou mais frequente ainda, é ouvirmos que o sabonete que se usa no corpo também serve para o rosto.

Preciso mesmo usar sabonete para a pele? Só a água não limpa?

Adianto vocês dizendo que a água não tem essa função isolada, uma vez que nossa pele apresenta caráter lipofílico.

 

 

Mas qual é o ideal, entre tantas opções encontradas atualmente em nosso expansivo mercado?

Tudo depende das características particulares apresentadas na pele, os princípios ativos da formulação, e forma de apresentação do cosmético (veículo).

Conforme a literatura, o sabonete que serve para minha pele nem sempre serve para sua pele. E essa premissa é levada e ensinada dentro da cabine para o nosso cliente que também não leva esse assunto tão a sério, até o momento que sente os benefícios da escolha correta na própria pele.

Hernandez e Mercier-Fresnel (1999) elucidam que os higienizantes devem atuar na superfície da pele (epiderme) para remover ou eliminar os produtos por arraste, através de soluções que solubilizam os componentes aderidos, retirando impurezas de origem externa, sem agredir, desengordurar excessivamente e alterar o pH fisiológico cutâneo.

Bom, já sabemos a função dos higienizantes, independente da sua indicação, devem obedecer alguns critérios para conservar a saúde da pele.

Os cosméticos higienizantes devem atuar:

Na remoção de subprodutos do nosso próprio metabolismo: gorduras insaturadas produzidas e excretadas em excesso pelas glândulas sebáceas e sudoríparas, substâncias como ureia e sais minerais, as próprias células mortas na capa córnea produzidas pelo metabolismo de renovação da pele.

No meio externo: produtos cosméticos, como maquiagem, hidratantes, protetores solares e outros que foram aplicados e não removidos corretamente. Como também, poluição ambiental, poeiras e sujidades e até mesmo vilões que habitam em nossa pele, como a bactéria, P.acnes, presente em quadros de acne. (MATOS, 2014)

Continuando o raciocínio de Hernandez e Mercier-Fresnel (1999) os agentes de limpeza devem ter seu tensoativo (propriedade de tirar sujeiras) menos agressivo para a microbiota cutânea da face, sendo importante evitar que a pele se torne alcalina (favorecendo o crescimento de agentes invasores, como os microorganismos). Como também, entre os seus aditivos, deve-se evitar os corpos graxos (óleos minerais) de ação comedogênica (formação de comedões abertos e fechados).

Existem inúmeras alternativas, tais como, os higienizantes em barra, em gel, os líquidos, os cremosos, os mousses e por aí vai. Na hora da escolha, assim como fazer um tratamento com profissional, o direcionamento do sabonete ideal faz toda a diferença no resultado final.

O primeiro passo para uma rotina de cuidados com a pele é a limpeza ou higienização, que deve conforme Matos (2014) ser utilizada duas vezes ao dia. Geralmente na parte da manhã e à noite. Lembrando na citação do início do texto não devemos promover ações agressivas a ponta de alterar as funções da pele e como consequência estimularmos um efeito contrário (“rebote”) e favorecer a proliferação de bactérias e microrganismos que podem induzir a lesões e irritações.

E para iniciarmos construindo um laço de amizade, segue uma tabela exemplificando os agentes de limpeza (mais recomendados), sua principal indicação e ação terapêutica.

 

Sabonete Facial

FORMA DE APRESENTAÇÃO PRINCIPAL INDICAÇÃO AÇÃO TERAPÊUTICA
Líquido ou Gel Peles normais a oleosas Ação detergente suavepH neutro ou ácido
Espuma Todos os tipos de pele Ação detergente suave e pH neutro ou ácido
Sabonete em barra ou glicerinado Região corporal Ação detergente suave a média e PH alcalino
Emulsão ou Leite de Limpeza Peles normais a secas Ação suave sem detergência

(MATOS, 2014)

Gostaram? Espero que sim, deixe seu comentário ou dúvida e compartilhem essa ideia! Vamos espalhar conhecimento e ciência.

Forte e terno abraço,
Vamos manter contato?!
Facebook: Jefferson Assandre de Assis